De modo a acabar com as estrias! No último grande evento da dermatologia paulista

Acontecido no começo de dezembro Dra Lilian falou a cerca de tratamento de estrias. Estes principais tópicos seguem inferior:

As estrias recentes (rubras) são lesões lineares avermelhadas, planas ou levemente excessivas. Com o tempo se tornam brancas (albas) e atróficas, semelhantes à uma cicatriz antiga. Existem abundantes opções terapêuticas para aumentar a qualidade o aspecto inestético de estrias. Neste leque incluem-se medicações tópicas, procedimentos cirúrgicos e à laser.

como remover estrias

Depois de ler este artigo veja também: como remover estrias nas pernas

Estes cremes emolientes ajudam na prevenção das estrias, há alguns trabalhos em gestantes em que o grupo placebo desenvolveu mais estrias que o grupo tratado com os cremes, mostrando que uma pele natural hidratada tem melhor elasticidade. Estes cremes ainda amenizam a ação irritativa destes ácidos, comumente usados pelo tratamento das estrias, aumentando a tolerabilidade e adesão à este tratamento.

Este uso tópico da tretinoína (0, 1%) por 3 meses consegue diminuir em 20% o comprimento de estrias, com melhores efeitos nas estrias rubras.

Este uso do ácido glicólico (20%) associado à tretinoína ou vitamina C por 3 meses melhoram as estrias brancas em 40-70%, com aumento da espessura da epiderme e derme papilar, mas apenas na associação com a tretinoína é que houve igualmente o aumento das fibras digestivas elásticas na derme.

 

Este laser de 585 nm é mais indicado de modo a peles claras e usualmente utiliza-se baixas fluências de modo a o tratamento das estrias rubras e finas

Para além de tratar o eritema, pois tem alto coeficiente de absorção para hemoglobina, este laser tem uma ação térmica residual de que estimula a produção do colágeno melhorando também a atrofia. O laser do Nd: YAG (1064nm) tem as mesmas ações nas estrias vermelhas e é bastante seguro quando utilizado em peles morenas.

A Luz Intensa Pulsada (LIP), no espectro da luz amarela, pode ser usada para o tratamento das estrias rubras e é mais indicado para peles claras, porém em peles morenas podemos fazer uma proteção perilesional com pasta de dióxido de titânio e óxido de zinco, evitando os efeitos colaterais.

A LIP na faixa do infravermelho é capaz de melhorar as estrias brancas, cujo efeito é aumentar a síntese de colágeno na derme

São necessárias várias sessões para uma melhora aparente, podendo chegar a 50% após 4 sessóes. Com o advento da tecnologia surgiram os lasers fracionados não ablativos, no espectro do infravermelho, que promove a renovação fracionada da pele, melhorando a textura e as alterações de coloração, além de aumentar a espessura da epiderme e a quantidade das fibras colágenas e elásticas na derme. Este procedimento mostrou-se seguro, mesmo em pele morena e oriental e tem melhores resultados nas estrias recentes, mas também tem boa ação nas estrias brancas com melhora de 25 a 50% após 6 sessões na avaliação do especialista.

como remover estrias brancas

Depois surgiram os lasers fracionados ablativos, mais potentes em estimular a produção do tecido conectivo, por imprimir maior lesão térmica no tecido tanto de ablação quanto de coagulação, aumentando a eficácia no tratamento das estrias. Há estudos que mostram boa melhora das estrias albas após 1 sessáo apenas, com o laser de CO2 fracionado, em pele oriental, sem complicações permanentes. 52% dos pacientes obtiveram melhora de 50-75% das lesões.

Para as estrias largas e atróficas costuma-se associar aos lasers fracionados, uma técnica cirúrgica denominada transcisão

A transcisão nada mais é do que a clássica subcisão, mas no nível da derme superficial. A lesão traumática com a agulha forma um coágulo que eleva a estria e no processo de cicatrização há formação de fibras do tecido conectivo melhorando a atrofia.

A microdermoabrasão é indicada logo após a trancisão, pois promove o levantamento das estrias com o vácuo e estimula a síntese de colágeno. Esta técnica ainda remove a camada córnea, facilitando a penetração de substâncias tópicas. Assim, logo em seguida, é interessante realizar um peeling químico, para aumentar os índices de bons resultados.

A intradermoterapia constitui na injeção de uma solução com complexo B e vitamina C (ajudam na regeneração celular) + ácido hialurônico (atua como substância hidratante, pois atrai moléculas de água) + lidocaína (anestésico) + soro fisiológico. As injeções fazem uma divulsão hídrica dos tecidos que irá estimular uma reação de cicatrização e por conseqüência a neocolagênese.
Dicas:

  1. Sempre que houver flacidez associada às estrias, ela deve ser tratada, pois evidencia as lesões atróficas. Este laser de CO2 melhora tanto as estrias quanto a flacidez local, como promove a contração da pele pela ablação destes tecidos. Uma alternativa não invasiva para tratar a flacidez da pele foi a radiofreqüência não ablativa.
  2. Os melhores resultados acontecem com a associação destes diversos métodos terapêuticos, porém o programa de terapia deve ser personalizado de modo a cada paciente, de pacto com as características do sua pele e usando o número, tamanho, tempo de duração e género das estrias.

Orgulhosamente feito com WordPress

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Name *
Email *
Website